VEJA AQUI A SITUAÇÃO DA COVID-19 NO BRASIL E NO MUNDO - Boletim COVID-19 31 de julho

VEJA AQUI A SITUAÇÃO DA COVID-19 NO BRASIL E NO MUNDO - Boletim COVID-19 31 de julho

Cenário Epidemiológico

Brasil:  2.662.485 casos (52.383 casos novos), 1.844.051 curados (19.956 novos curados), 92.475 óbitos (1.212 novos óbitos) 

 

 

Mundo:  17.421.013 casos (288.360 casos novos), 10.132.765 curados (184.392 novos curados), 675.545 óbitos (6.289 novos óbitos)

 

Serviços Públicos de Saúde

Centro de Operações de Emergência em Saúde da Bahia recomenda internação precoce de pacientes com coronavírus 

Parâmetros para avaliação clínica e laboratorial:

SINAIS VITAIS

• Frequência Respiratória maior ou igual a 22 incursões respiratórias por minuto;

• Frequência cardíaca maior ou igual a 100 batimentos por minuto;

• Saturação Periférica de Oxigênio menor ou igual a 95%;

DESCONFORTO RESPIRATÓRIO

• Auto declaração de falta de ar;

• Hipoatividade;

• Dor torácica;

• Glicemia capilar maior ou igual à 140 mg/dL;

• Sódio maior que 145 ou menor que 135 mEq/L;

• Potássio maior do que 5 ou menor do que 3,5 mEq/L;

• Lactato arterial maior que 1,0 mmol/L.

 Atualizações Diagósticas

1. O Ministério da Saúde divulgou critérios e orientações para aplicação do teste rápido sorológico nos serviços de saúde. Terão prioridade na testagem trabalhadores que atuam em postos de saúde, serviços de urgência, emergência e internação, trabalhadores da área de segurança pública e contatos domiciliares desse público. (https://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/46699-grupos-mais-expostos-ao-contagio-terao-prioridade-para-testes-rapidos)

De acordo com o MS, o teste deve ser realizado respeitando as seguintes condições:

  • Trabalhadores de saúde e segurança pública: mínimo 7 dias completos desde o início dos sintomas de Síndrome Gripal E mínimo 72 horas após desaparecimento dos sintomas;
  • Pessoa com diagnóstico de Síndrome Gripal que resida no mesmo domicílio de um profissional de saúde ou segurança em atividade: mínimo 7 dias completos desde o início dos sintomas de Síndrome Gripal E mínimo de 72 horas após desaparecimento dos sintomas.

2. Testes rápidos para se detectar coronavírus

a. Por determinação do Ministério da Saúde, os 31 mil testes rápidos adquiridos pelo Governo Federal serão voltados para os trabalhadores das áreas de Segurança Pública e Saúde, bem como para as pessoas que residam no mesmo domicílio dos profissionais e estejam com quadro gripal.

3. Definição de caso suspeito de coronavírus (Covid-19)

Definição 1:

  • Síndrome Gripal (SG): indivíduo com quadro respiratório agudo, caracterizado por sensação febril ou febre, mesmo que relatada, acompanhada de tosse ou dor de garganta ou coriza ou dificuldade respiratória.
  • Em crianças (menos de 2 anos de idade): considera-se também obstrução nasal, na ausência de outro diagnóstico específico.
  • Em idosos: a febre pode estar ausente. Deve-se considerar também critérios específicos de agravamento como sincope, confusão mental, sonolência excessiva, irritabilidade e inapetência.

Definição 2:

  • Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG): Síndrome Gripal que apresente: dispneia/desconforto respiratório ou pressão persistente no tórax ou saturação de O2 menor que 95% em ar ambiente ou coloração azulada dos lábios ou rosto.
  • Em crianças: além dos itens anteriores, observar os batimentos de asa de nariz, cianose, tiragem intercostal, desidratação e inapetência.

 

Orientações Gerais 

1. O novo Coronavírus (SARS-Cov-2) pode permanecer infectante em aerossóis e fômites (objetos contaminados) desde horas a dias:

  1. Aerossóis: até 3 horas
  2. Plásticos: até 3 dias
  3. Aço inox: até 2 dias
  4. Papelão: até 1 dia
  5. Cobre: até 4 horas

A pesquisa publicada foi realizada com experimentos "in vitro", utilizando temperatura ambiente de 21 a 23º C, 40% de umidade relativa do ar. A quantidade do inóculo (vírus liberado em secreções) e condições ambientais como temperatura e umidade podem alterar o tempo de viabilidade das partículas virais em aerossóis e em diferentes superfícies. (The New England Journal of Medicine, March 17, 2020, DOI: 10.1056/NEJMc2004973)

2. Virologista ensina como limpar sacolas e embalagens plásticas para evitar a Covid-19 (https://globoplay.globo.com/v/8482836/programa/)

3.Canal do Ministério da Saúde no WhatsApp para falar com a população sobre o Covid-19: https://bit.ly/sauderesponde (mande um oi)

4.Dique Coronavírus 155 

 

5. Governo recomenda que todos utilizem máscara ao sair de casa

6. Fique em casa! Só saia em caso de necessidade.

7. Adotar as medidas de etiqueta respiratória:

  1. Se tossir ou espirrar, cobrir o nariz e a boca com cotovelo flexionado ou lenço de papel;
  2. Utilizar lenço descartável para higiene nasal (descartar imediatamente após o uso e realizar a higiene das mãos);
  3. Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  4. Realizar a higiene das mãos.

 8. Cuidado com os idosos:

  1. Certificar-se que os idosos e seus cuidadores estejam com todas as vacinas em dia, principalmente as vacinas relacionadas a doenças respiratórias infecciosas.
  2. Reduzir, ao máximo, o número de visitantes, assim como a frequência e a duração da visita.
  3. Contraindicar a visita de crianças, pois são possíveis portadores assintomáticos do novo coronavírus.

 9. O que fazer em caso de sintomas:

  1. Sintomas leves (coriza e mal-estar) faça isolamento domiciliar! Não saia de casa para atendimento!
  2. Sintomas moderados, como tosse e febre, procure uma unidade básica de atendimento!
  3. Sintomas graves (falta de ar) devem ser encaminhados às emergências!

10. Isolamento domiciliar:

  1. Casos suspeitos ou confirmados da COVID-19;
  2. TODAS as pessoas que tiveram contato com um caso suspeito ou confirmado para COVID-19;
  3. Indivíduos com febre ou sintomas gripais (por exemplo tosse, dor de garganta, coriza);
  4. Observações:
    1. Em caso de piora dos sintomas, procurar atendimento médico imediatamente
    2. Informações referentes a atestados médicos, consultar Portaria nº 454 de 20/03/2020 (Ministério da Saúde)
    3. Durante o isolamento domiciliar, o caso suspeito ou confirmado deve manter as seguintes medidas de precaução: 
      1. Se possível, permanecer em ambiente ventilado;
      2. Utilizar máscara cirúrgica quando disponível;
      3. Não compartilhar objetos e utensílios como talheres, copos e pratos;
      4. Utilizar a etiqueta adequada para tosse e espirro
      5. Se possível, manter-se em um cômodo diferente daquele dos demais moradores;
      6. Dormir num local sem contato com outros moradores da residência.

Elaboração

Dr. André Gusmão, médico

Dra. Andréa Mendonça, virologista

Adaptado pela Força Tarefa Doutor Pulmão